Como destravar o crescimento do seu Restaurante pela análise de dados?

Muitos restaurantes já se acostumaram a lidar com o high-tech para operarem seus frentes de loja, e até mesmo, em alguns casos, seu canal virtual, mas quando se fala em análise de dados, muitos ficam bem travados ainda neste contexto.

Dados melhores vão cada vez mais ajudar os donos de Bares & Restaurantes a melhor entenderem como estão inseridos em seus mercados, bem como as necessidades de seus clientes.

De acordo com o Boston Consulting Group, uma melhor análise de dados pode trazer um crescimento de 10% em receita, e até 15% de redução nas operações dos Restaurantes, porém, a NRA — Associação Americana de Restaurantes — encontrou pelo menos um terço dos restaurantes atrasados quando se fala em adotar a tecnologia para análise e geração de dados.

Redes, em geral, têm questões a serem analisadas em profundidade quando se tratam de dados em geral. Por um lado, os dados são potencialmente poderosos para as Redes, visto o número de fontes que os geram, e com isto trazem vários insights, porém, por outro lado, traz certa dificuldade em centralizar estes dados, e retornar a cada unidade de uma grande rede de modo que esta possa tirar o melhor proveito.

E como resolver o problema dos dados?

Quando falamos de redes e franquias, isto permite uma aceleração grande para a conquista de imensos mercados, mas o fato de haver uma descentralização na geração e envio destes dados, isto multiplica o custo desta aquisição. Em redes, em geral, os franqueadores sabem o quanto é dificil de manter uma visibilidade local, e individual, de cada unidade, e com muita frequência os dados demoram a se tornarem informações perdendo o tempo de ação em determinados mercados.

Compartilhar informações e insights de forma eficiente, podem endereçar muitos dos grandes desafios enfrentados pelos negócios de Food Service. Controle de estoque é um dos pontos complexos, mas que unidades franqueadas ou de uma rede podem compartilhar entre si, ou com seu franqueador, e antecipar tendências, sazonalidade, faltas, entre outros, com mais facilidades tendo uma integração em seus dados.

Estratégias mais eficientes de dados podem ajudar redes a desenvolverem e aplicarem melhores benchmarks e aumentar sua produtividade e resolver questões críticas em unidades que não estejam performando.

É certo que para atingir este nível de compartilhamento dinâmico de dados, com a fluidez necessária, entretanto é imprescindível que você adote ferramentas digitais de dados.

Ao invés de decisores se basearem em “planilhas excel”, estes precisam ferramentas simples e fáceis de serem usadas, que consigam transformar dados numa linguagem comum do mundo dos Restaurantes — ou seja — softwares capazes de capturar dados nas pontas e torná-los relevantes suficientes para os decisores nas esferas superiores, sem que estes tenham que ter um diploma de Ciência da Computação — traduzindo os dados para os insights necessários e embutidos nos dados coletados.

Convertendo dados em dicas

Restaurantes realmente precisam, em outras palavras, são ferramentas focadas na tradução destes dados, trazendo a facilidade, em dashboards, simples, diretos e claros, com os principais indicadores do negócio de cada rede.

De forma ideal, estas ferramentas devem ser mobile, permitir que os decisores integrem as mesmas em suas análises do dia-a-dia, sem terem que ficar pendurados em um sistema de backoffice para extraí-las, convertendo-as em dicas.

Como dito, bem lá no início, a entrega deve ser clara.

Melhores dados ajudam decisores do mundo do food service a entenderem melhor seu mercado e as necessidades de seus consumidores.

As unidades individuais podem informar o que se passa em seu ponto-de-venda, e os dados podem ser consolidados e rearrumados em tendências, em dashboards de fácil leitura e entendimento, permitindo com estas dicas que os decisores desenvolvam novas linhas mestras para seus negócios, processos ou recursos.

Dados — não são apenas sobre números — mas sim, como identificar melhores práticas, assim, permitindo replicar o que está indo bem, ou corrigir o que está errado.

Ferramentas de dados também ajudam a melhorar a eficiência, exemplo, pode ser quando um operador de restaurante percebe que sua linha de frente tem levado mais tempo do que a média de sua rede para resolver certas tarefas, seja como atender um cliente, ou despachar um pedido em delivery, por exemplo.

Comparar os KPIs entre regiões ou produtos, e cruzar as métricas de performance de forma continua ajuda a trilhar o sucesso de toda a rede.

No fim do dia, dados são sobre dicas e tendências, para os decisores, melhores dados trazem informação mais clara para ser compartilhada através da própria rede, ou com grupos de restaurantes.

Com informação fácil e clara, na ponta dos dedos, fica mais fácil antecipar tendências e acertar cada vez mais no futuro próximo em sua operação de food service. Toda a agilidade, da coleta dos dados, a mineração e apresentação, em formatos práticos, será um enorme diferencial competitivos para redes de foodservice nos próximos anos. Saia na frente.

Marcio Blak, ajudando o mercado de software para varejo, food & franquias a crescer

Quer acessar mais do meu conteúdo grátis? Acesse www.foodfranquias.com.br

* baseado livremente em texto de Charles Miglietti publicado na QSR Magazine

+20 anos de experiência em gestão empresarial —Especialista no mercado de Tecnologia com forte viés na Transformação Digital do Food Service, Varejo & Franquias

+20 anos de experiência em gestão empresarial —Especialista no mercado de Tecnologia com forte viés na Transformação Digital do Food Service, Varejo & Franquias